domingo, 29 de agosto de 2010

Nas Alturas

Tenho o costumo de observar o céu durante a madrugada. É bonito, repleto de estrelas e algumas nuvens e a imponente Lua.

Vejo a solidão das estrelas de maneira bem poética, e similar à minha esquecida solidão cá da terra.
Observo que as estrelas são muitas, mas que bilhões de quilometros as separam umas das outras. As vezes sinto-me assim. Rodeado por muitas pessoas, mas muito distante do bem estar que apenas uma me oferece.

Levo o céu como fiel companheiro... E ele realmente o é.
Nas noites de alegria, ele esteve presente para me abençoar...
Obrigado, ó céus.
Nas noites de tristeza ele esteve presente para me consolar...
Que seria de mim?
Nas noites de insônia ele esteve presente para me confortar...
Onipresente.
E nas noites de sono ele esteve presente para me velar...
Discreto como o luar.

E hoje, por exemplo, que estou em mais uma noite de inquieta apreensão: Lá está o Céu sorrindo pra mim das alturas infinitas.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Noite Serena

Hoje eu só quero uma noite serena. Para mim e para você.
Esqueça as tormentas de ontem, já passou, meu bem.
Estamos só nós dois agora, nada poderá nos atingir. Confie em mim.
Segure a minha mão e vamos juntos atravessar esse vale escuro.

As estrelas hão de nos guiar por mais essa madrugada. E então, quando chegar a alvorada, poderemos sorrir tranquilos.

sábado, 21 de agosto de 2010

Balões

Quem não se encanta com a beleza colorida dos balões?
Com a magia que eles dançam ao ritmo do vento, se deixando levar pelo momento...
Quem não se comove com o brilho dos balões?
Que voam livres e soltos pelo ar, que seguem um caminho incerto sem medo de errar.
Quem não perde as palavras na garganta ao ver os balões?

Os insensíveis aos balões só podem sofrer da seca da alma, da seca interior.
Da seca emocional, de seca sentimental... Que, às vezes, pode ser até pior que a seca climática, a seca da chuva..

Deixa o balão voar, deixa essa dança te enfeitiçar.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Vazio

Sensação de vácuo interior... Anestesia sentimental.
É hora de esfriar os sentimentos e organizar a cabeça. É hora de refletir.
É tempo de mudança. É tempo de esperar. É tempo de incerteza.

E é, sobretudo, tempo de esperança.

Sem rumo eu vou seguinte este caminho.

domingo, 8 de agosto de 2010

Alucinação

Eu não quero te iludir: ilusão, ilusão, ilusão, ilusão, ilusão, ilusão, ilusão.

Eu quero a verdade, porra! Um dia vai acontecer não significa nada. Cansei de construir e desconstruir meus sonhos. Cansei de viver.

Os dias se tornaram um fardo para mim. Um fardo cujo qual eu quero mandar pra puta que pariu. Eu queria não sentir. Eu queria, no fundo, sorrir com você.

sábado, 7 de agosto de 2010

Angústia

Mais uma noite sombria, mais uma noite na qual minha mente insiste em me aterrorizar.
Mais uma noite fria. Uma noite onde o meu corpo treme todo, e não é pela temperatura, e sim pelo nervosismo.

Quando é que isso vai acabar? Quando é que meu martírio vai ter um fim? Eu não aguento mais, não mais.

Dê-me um alívio, por favor.
São reviravoltas demais para uma pessoa só.

domingo, 1 de agosto de 2010